Agronegócio cresce com investimentos em tecnologia e novas formas de trabalho

Agronegócio cresce com investimentos em tecnologia e novas formas de trabalho

No programa do último domingo (18), o RIC Rural abordou dois temas que estão em alta no setor do agronegócio. Um deles, sobre a mecanização na lavoura de café, pode até não ser tão novo, mas sempre desperta a curiosidade e o debate entre os produtores. Afinal, é realmente necessário investir em equipamentos?

Na zona rural de Carlópolis, no Norte do Paraná, um agricultor, que há 40 anos lida com café com apoio da família, responde a pergunta com um categórico sim. “Se não fosse o mecanismo, acho que hoje não estava na lavoura”, conta Luiz da Silva, em entrevista ao RIC Rural. Ele usa os equipamentos na colheita e no tratamento dos grãos, até mesmo com espírito empreendedor, fornecendo o equipamento a outros colegas de profissão. Mas engana-se quem pensa que os cuidados básicos são esquecidos aqui, pois nem tudo pode ser jogado nas mãos da tecnologia. “[Fazemos] o manuseio de braquiária. Joga por baixo, segura a umidade. [Também fazemos] adubação e o esqueletamento, ano sim, ano não.”

Visão do sítio São Luiz, em Carlópolis, com verdadeiros “jardins de café” – Imagem: Reprodução/RICTV

O programa também traz reportagem sobre coworking de agronegócio, uma tendência de mercado que muda a forma de trabalho de quem faz o gerenciamento do campo. Com a visão desse tipo de opção de múltiplos negócios em um só lugar, um zootecnista de Cascavel, na região Oeste, planejou e está investindo nesses ambientes colaborativos. “Nossa proposta é hospedar uma comunidade de agronegócio. E através da interação entre os agentes, gerar valor para essa comunidade. Novos negócios, novos clientes, enfim, resultados”, diz o empresário Eduardo Franz, também em entrevista do RIC Rural.

Primeiro coworking rural do Paraná fica em Cascavel – Imagem: Reprodução/RICTV

Além desses temas, o programa também tratou sobre a preservação do papagaio de cara roxa na Ilha Rasa, no litoral. Da compra da Confepar pela cooperativa Cativa, que se tornou a maior com captação de leite do Estado. De um hotel fazenda em Santa Fé, que é uma opção de turismo rural. Deu dicas sobre a importância do nitrogênio no cultivo de laranja. Ensinou como preparar o doce Beliscão. E fechou a conta com a participação da dupla Lucas e Eduardo.

Confira o informativo do programa (clique para assistir as reportagens):

Preservação Mercado Investimento Lazer Agronegócio Dicas na Agricultura Sabor da Terra Participação Musical
Compartilhe